sábado, fevereiro 07, 2009

Eku d'Alupec

A Internet tem destas coisas. Torna o mundo, autenticamente, uma aldeia onde, aqueles que podem ou se interessam minimamente, podem se conhecer digitalmente e estar ‘juntos’ mesmo que cada um continue fisicamente no seu ‘canto do mundo’…
Esta introduçãozinha para trazer aqui no teatrakácia esta reacção de um brasileiro - por sinal já com o ‘bichinho’ de Cabo Verde por já ter vivido no país … e Presidente da Ordem Nacional dos Escritores do Brasil – à nossa aprovação do Alupec:

Re :Língua-Cabo Verde aprova alfabeto para escrita do crioulo
Envoyé par : "jverdasca" mailto:j.verdasca@uol.com.br?Subject=%20Re%A0:%20Re%A0:L%EDngua-Cabo%20Verde%20aprova%20alfabeto%20para%20escrita%20do%20crioulo
Vendredi 6. Février 2009 17:34
O crioulo de Cabo VerdeDialeto-língua de raízes alecerçadas em várias línguas europeias (português arcaico, francês, inglês, italiano) e nos muitos dialetos africanos dos povos dessa origem, o crioulo de Cabo Verde é um dialeto encantador, terno e suave, que merece ser institucionalizado, até porque, desde longa data, é a escrita de bela literatura, de poetas e contistas locais.Aprendi o dialeto na Praia, quando lá residi, entre 1959 e 1961, e passei a admirar esse povo sofrido mas acolhedor e fraterno, de rica cultura e nível de instrução por vezes superior à metrópole de então, que era Portugal. A Nação Caboverdeana - fruto da fusão de muitos sangues e do caldeamento de outras tantas culturas, merece ser acarinhada e estudada, por seus exemplos de resistência à adversidade, de adaptação ao ambiente hostil, de determinação face às secas e fomes periódicas.Composto por 9 ilhas - 5 no Barlavento: Santo Antão, São Vicente, Santa Luzia, Sal e Boavista - e 4 no Sotavento: Maio, Santiago, Fogo e Brava - o Estado de Cabo Verde é um exemplo de sucesso desde a independência de Portugal, por ter seguido caminhos democráticos, de respeito a todos os seus habitantes. Com um conjunto de comunidades de e-imigrantes no estrangeiro que ultrapassam a população da Pátria-mãe, Cabo verde tem sabido ultrapassar, ou, pelo menos, contornar a congénita pobreza, e seguir em frente com harmonia e dignidade. É UM EXEMPLO PARA TODA A ÁFRICA.
José Verdasca dos Santos - Presidente da Ordem Nacional dos Escritores – Brasil”

Nota: Não sei o que ‘aconteceu’ a S.Nicolau, mas o mais provável é que tenha sido trocado, por lapso, com Santa Luzia – já que o 'nosso' escritor se referia às ilhas habitadas, com certeza.
E quantos cabo-verdianos, residentes e espalhados pela diáspora toda, não terão ‘sabido e vivido’ esse facto?

2 comentários:

Anônimo disse...

O que vale, de facto, a aprovação do Alupec pelo Conselho de Ministros?

José Eduardo Fonseca Soares disse...

Vale o que vale, anónimo. Mas CV precisa, mesmo - na minha opinião -duma norma para a escrita da nossa língua nacional. Que seja o Alupec!