sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Cabo Verde Turístico


(foto: Hellio Vaninger)


Um turismo em que os nossos visitantes – turistas especiais – virão para ver, conhecer, conviver, e não sugar/destruir (como parece ser o caso construção, em zona marinha protegida, da Marina da Murdeira…) mas para desfrutar/apreciar isto que temos de diferente, e manifestamente queremos continuar a ter:
Paisagens desérticas e lunáticas, tingidas do castanho seco e ‘destorrado’, vulcões activos ou não, praias de areias brancas ou negras que desaguam em aguas límpidas de um mar arco-íris de azuis mil, uma bela arquitectura nascida dos tempos de colónia portuguesa num S.Nicolau ou numa S.Vicente caldeirão de misturas culturais, de um Santo Antão de montanhas de tirar fôlego até a uma bela Brava perdida na neblina, passando pelo fogo do Vulcão do Fogo, quinhentos anos de história e cultura nascidas no berço de Santiago, num clima quente e ensolarado… com praias paradisíacas particularmente no Maio, Boavista e no Sal, sem esquecer uma misteriosa e bela Santa Luzia.
Enfim um caleidoscópio de ambientes e paisagens que queremos continuar a ter… - a que poderemos juntar a música e mais manifestações culturais seculares (que Cabo Verde e o seu povo têm…) - e que poderão continuar a ser descobertos por aquele Turista que vale à pena.
E isso tudo, depois de termos a consciência de que é preciso estudar, criar, preparar e organizar para que o turista tenha, de facto, umas férias cem por cento made in cabo verde.

2 comentários:

Anônimo disse...

Eh kela propi pa manti nos terra limpo e lindo!

José Eduardo Fonseca Soares disse...

Mesmo tirando proveito para o desenvolvimento... lá onde seja possível, sem destruir o ambiente...