quarta-feira, abril 08, 2009

Sonhos...


Está mais do que na hora de colocarmos todos na cabeça – claro e transparente! – que os Ministérios, as Direcções Gerais e Regionais… os Governos todos (verdes e amarelos), enfim todos os poderes públicos, não são mais do que nossos empregados…
Aprendermos todos, que eles afinal são os empregados e nós somos os patrões. E exigir que cumpram com o seu papel!
Isso acabaria com os desequilíbrios mil e desaguaria na tal – almejada! - sociedade mais justa.
Muita coisa mudaria - para melhor! -na nossa vida de país à procura de uma via de desenvolvimento para todos os filhos desta terra.

5 comentários:

Kuskas disse...

Oh Fonseca. Lembras-te quando o falecido Manuel Delgado chamou publicamente o primeiro Ministro de "meu funcionário público"??

Na altura todos acharam que foi um desrespeito por parte do Manel. Mas ele como quase sempre estava certo.

A mim causa-me confusão ver a forma servil, como determinadas pessoas se colocam a frente de Ministros, DG e companhias Lda.

Abraço

zito azevedo disse...

Para que tudo ficasse não digo resolvido mas, decerto, melhor, bastaria que essa imensa rocissão de ministros, primeiros ou segundos, secretários de estado, chefes de serviços e os demais, se sentisse não, apenas, na pele de servidores do Estado mas sim de servidores da Nação, que somos TODOS NÓS...
Zito Azevedo

Fonseca Soares disse...

Kuskas, é claro que me lembro desse episódio, a partir da pena desenvolta e crítica de Manuel Delgado... aliás esteve na base deste post. Essa 'atitude servil' de que falas é que precisa ser erradicada...
Nem mais(!) Zito Azevedo, precisa-se da (certa) consciência de 'servidores do Estado e da Nação'...

Alice Mascarenhas disse...

Há muito ainda a ser feito para mudar as mentalidades nesse campo...

A começar pela comunicação social... que como sempre tem um papel a fazer.
Embora, ùltimamente as coisas estejam a evoluir para melhor, mas já viram como nós, supostamente chamados os "patrões" pelo Fonseca Soares, somos tratados? : ...Cidadãos anónimos... (Anónimo como, se temos registo, trabalhamos e estamos cá há muitos anos, (no meu caso há quase 61, tirando os 9 em Angola, claro) e o que a gente fez, faz, disse, diz, se não for um Dep, um Premier, um DG, ou um espírito de luz, não interessa e não é notícia... Correm atràs dos iluminados e luminosos e nós, que somos a maioria... não temos muito espaço neste país, que sinto a escapar-me... estou a perder aquele entusiasmo...e entristece-me muito isso. Portanto, vamos lá a isso, comecemos a agir e a interagir...
Mas como?????

Fonseca Soares disse...

Inteiramente de acordo, Alice! Mas como costumo dizer... a nossa comunicação social - com todas as inúmeras críticas que nos suscita! - não é mais do que o 'espelho da sociedade' que ainda temos. Resumindo, é uma infinidade de coisas que 'interagem em cadeia', movidas pela vontade deste povo... uma vontade que depende da mentalidade e trabalho que se for conseguindo realizar, adquirir (na evolução) com o tempo... (não?)
Abraço