terça-feira, abril 14, 2009

Mindelo – 130 anos…

Um pouco da História desta cidade:

Várias tentativas de povoar São Vicente foram levadas a cabo, com o propósito de aproveitar os campos de pasto para a criação de gado e, principalmente, as potencialidades naturais oferecidas pela baía do Porto Grande. Com efeito, desde sempre que o generoso abrigo oferecido por esta baía foi cobiçado por outros países e frequentemente usado à revelia das autoridades portuguesas que não dispunham de meios suficientes para cuidar de todas as suas possessões.
Assim, não poucos piratas e corsários se serviram dele como porto de descanso e de espera para as suas investidas. Em 1624 foi ali que se reuniu a armada holandesa de vinte e quatro velas e 3.300 homens, sob o comando do almirante Jacob Willekens, cujo objectivo final era a conquista da Baía de Todos os Santos, no Brasil. Para evitar que o porto continuasse a ser usado por piratas, em 1781, foram dadas ordens expressas para o rápido povoamento de São Vicente.
No entanto, só em 1795 chegariam os primeiros colonos: vinte casais e cinquenta escravos, levados do Fogo pelo recém-nomeado capitão-mor de São Vicente, João Carlos da Fonseca Rosado, homem abastado natural de Tavira.
Uma dúzia de barracas e cabanas, erguidas no local onde hoje se localiza a Pracinha da Igreja, constituíam a Aldeia de Nossa Senhora da Luz. Em 1819, não tendo São Vicente mais de 120 habitantes, o governador António Pusich, apercebendo-se das potencialidades do Porto Grande, leva para lá mais 56 famílias de Santo Antão.
Sonhando com a criação de uma cidade, rebaptiza a povoação com o pomposo nome de Leopoldina, em homenagem à imperatriz Maria Leopoldina de Áustria, esposa de D.Pedro IV.
Em 1821 a ilha tinha 295 habitantes, no entanto, a seca extrema que a assolou nos anos subsequentes viria a reduzir a um ínfimo o número de habitantes da ilha. Apesar de todas as dificuldades, as autoridades mantinham-se resolutas a criar uma grande cidade na baía do Porto Grande.
Com a ascensão dos liberais ao poder na metrópole, em Setembro de 1835 é nomeado governador Joaquim Pereira Marinho. No ano seguinte, o inglês John Lewis visita a ilha com o objectivo de avaliar as condições do porto para servir de escala aos navios da inglesa Companhia das Índias. Apesar de contar com apenas 340 habitantes, Marinho defende acerrimamente a ideia de criar uma novacapital para Cabo Verde em torno do Porto Grande.
Por decreto ministerial e portaria régia de 11 de Junho de 1838 é autorizada a mudança da capital da Praia para São Vicente.
Há, porém, atrasos a impedir a concretização desse acto político, nomeadamente uma grande resistência dos defensores da continuação da capital na Praia, de modo que a transferência acabará por nunca se concretizar, em parte também por arrefecimento do entusiasmo do próprio governador Marinho. De todo o modo, em 1838 a companhia inglesa East India estabelecia em São Vicente o primeiro depósito de carvão, ao mesmo tempo que na metrópole o Marquês de Sá da Bandeira decretava que a povoação na baía do Porto Grande adoptasse o nome de Mindelo, em memória do desembarque do exército expedicionário de D. Pedro IV nas praias perto da localidade do Mindelo em Portugal.
E para mostrar que, desta vez, não se ia ficar pelas intenções, de Lisboa seguem também os planos da futura urbe. E foi assim que Mindelo foi crescendo até atingir a dimensão que hoje possui. E no dia 14 de Abril de 1879 ascendia à categoria de Cidade.
Chegou a ser projectada para ser Capital de Cabo Verde, facto que nunca chegou a acontecer. Mas antes, há que retroceder no tempo e chegar à seguinte conclusão: Por portaria de 10 de Março de 1857, é abolida a escravatura em São Vicente e, no ano seguinte, em São Nicolau e Santo Antão. No ano seguinte, Mindelo já possuía quatro ruas, quatro travessas, dois largos e 170 habitações, e a sua população estava calculada em 1400 habitantes, sendo elevada à categoria de vila nessa altura.
Mindelo é considerada a cidade mais cosmopolita do país, e ali é berço e convergência da intelectualidade cabo-verdiana.
E eis alguns passos da sua trajectória:
Em 1862 já se construíra o edifício da alfândega, diversos outros estavam em construção e a vila já tinha uma igreja com a invocação de Nossa Senhora da Luz.Outros progressos iam também acontecendo: a 18 de Março de 1874 seria amarrado na praia da Matiota o primeiro cabo submarino do telégrafo ligando a ilha à Europa e ao Brasil e, com a instalação no Porto Grande dos depósitos da Cory Brothers & C.ª em 1875, Mindelo passa a ser considerado o maior porto carvoeiro no Atlântico médio.

6 comentários:

Anônimo disse...

Qual fonte?

Abraços

moreia

Fonseca Soares disse...

Várias fontes e documentos da História de Cabo Verde.
Abraço

Gloria disse...

mto interessante

Alice Mascarenhas disse...

Tratando-se de história, deve ser contada e recontada...

As vezes sei que é fastidioso enumerar as fontes, mas, tratando-se da nossa história que todos tinham e têm o dever de conhecer, dar um anzol para alguma pesca interessante, constitui acto de cultura...
Abraço

Fonseca Soares disse...

Isso mesmo AM, é um acto de cultura ter claro na cabeça as informações básicas da História deste nosso País.
Nem mais, Glória!
Abraço

zito azevedo disse...

Obrigado, Mindelo, por me teres acolhido quando eu era menino, por ter frequentado a tua escola, o teu liceu, o teu cinema, a Praça Nova, por ter dançado nos bailes do Rádio Clube Mindelo, por, aí, ter conhecido a que haveria de ser minha mulher, por teres visto nascer meus filhos, no velho Hospital, por lhes teres ensinado as primeiras letras e proprocionado os primeiros amigos, obrigado, Mindelo porque em ti me fiz mais de metade do que sou, obrigado, Mindelo, por existires,
seja qual for a tua História, o teu passado, o teu futuro. Obrigado, Mindelo!
Zito Azevedo