quarta-feira, abril 22, 2009

Anedota


Qualquer semelhança com a realidade... será pura coincidência!

Em Londres há um velho barbeiro...

Um dia, um florista vai lá cortar o cabelo. Depois do corte, quando vai pagar, o barbeiro diz:

- Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.

O Florista ficou satisfeito, agradeceu… e foi-se embora.

Na manhã seguinte, ao chegar à loja, o barbeiro encontrou uma dúzia de flores e um cartão que dizia 'obrigado'.

Outro dia, um polícia vai lá cortar o cabelo. Depois do corte, quando vai pagar, o barbeiro diz:

- Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.

O polícia ficou satisfeito e foi-se embora.

Na manhã seguinte, ao chegar à loja, o barbeiro encontrou uma dúzia de ‘donetes’ e um cartão que dizia 'muito obrigado'.

Um outro dia, um cabo-verdiano vai lá cortar o cabelo. Depois do corte, quando vai pagar, o barbeiro 'lança a cassette':

- Lamento, mas não posso aceitar o seu dinheiro. O que fiz foi um serviço à comunidade.

O crioulo ficou satisfeito, agradeceu, e foi-se embora.

Na manhã seguinte, ao chegar à loja, adivinha o que o barbeiro encontrou à porta...


Vá lá... adivinha!


Vá!

Pensa como um bom crioulo que és...!!!


Tu consegues...


O barbeiro encontrou...

Uma dúzia de ‘berdianos’ à espera… para também cortar o cabelo… de graça!!!

(recebido por e-mail)

3 comentários:

Cesar Schofield Cardoso disse...

:))))

Tá o máximo!

João Branco disse...

Essa era muito fácil de adivinhar, Fonseca! hahaha

Redy Wilson Lima disse...

Por acaso ouvi esta anedota neste fim-de-semana na Cidade Velha. Na verdade é um português e como foi contado no meio de portugueses foi deixado uma pequena reflexão: e se fossem cabo-verdianos? A resposta está no teu post. Enfim... tal pai tal filho.