terça-feira, novembro 04, 2008

Mais Teatro!!! TIM com peça nova

fotos: João Barbosa

Nôs Santa Luzia é a nova proposta do TIM, já para amanhã dia 5, com reposição no dia seguinte:
TIM - O teatro ao serviço
da sensibilização ambiental
Novembro 2008 – no CCM
Dia 5 - 20:00 e dia 6 21:00

A Conservação Marinha e Costeira

O Projecto de Conservação Marinha e Costeira (PCMC) de Cabo Verde enquadra-se no âmbito do Plano de Acção Nacional para o Ambiente (PANAII), na estratégia de conservação da WWF, e no Programa Regional de Conservação Marinha e Costeira da África do Oeste (PRCM) em particular. O projecto foi elaborado em concertação com as instituições em Cabo Verde, financiado pelo governo da Holanda, e está sob tutela da Direcção Geral do Ambiente.

O projecto tem como objectivo “salvaguardar a diversidade biológica marinha e insular de Cabo Verde em benefício do desenvolvimento durável do país”. Entre outros objectivos específicos, o projecto pretende criar através de um processo participativo, duas Áreas Marinhas Protegidas (AMPs), a Baia da Murdeira na ilha do Sal e Santa Luzia, ilhéus Branco e Raso, devido à importância para a biodiversidade e ao papel que ambas representam na sustentabilidade dos recursos pesqueiros.

O processo participativo de criação das AMPs, permitirá analisar os constrangimentos de utilização dos recursos pelos actores e intervenientes na zona, assim como delinear estratégias de aproveitamento e de gestão, através dos conhecimentos e experiências tanto das instituições do domínio, como dos pescadores artesanais.

No intuito de apoiar o processo de criação e elaboração de um plano de gestão para a AMP de Santa Luzia, ilhéus Branco e Raso, visando a conservação e gestão durável dos seus recursos, o PCMC em parceria com o grupo TIM criou em 2006 a peça teatral “Linha de pesca”. Dando seguimento ao processo, foi então planeado uma segunda peça teatral “ Nhôs Santa Luzia” de forma a demonstrar os caminhos até então percorridos, reforçando os actores no processo de concertação, negociação e gestão participativa dos recursos na AMP.

Pelo WWF



As razões dum Projecto – ou o porquê dum Linha de Pesca II

Após o que pode ser considerado de ‘objectivo atingido’, com a apresentação em vários espaços e locais, e em algumas das ilhas do país, da peça escrita e montada pelo Teatro Infantil do Mindelo e a WWF – LINHA DE PESCA – e com a constante evolução nestas Ilhas e no Mundo dos problemas e necessidades de preservação ambiental, mas sobretudo tendo em conta a contínua degradação desse equilíbrio, e a necessidade de fazer mais para assegurar a biodiversidade marinha, o renovar do desafio de criar mais uma ‘estória’ à volta dos pescadores, do mar, do ambiente, das novas áreas marinhas protegidas… e o nascimento de uma nova ‘estória’ – Nôs Santa Luzia.


Inserido nessa preocupação/missão pedagógica e ambiental inerente aos objectivos do TIM, os seus actores membros, após ‘beber’ de esclarecimentos sobre a actualidade e novas mensagens a passar para a comunidade piscatória e não só, de acordo com as mesas de conversação que reúnem todos os agentes envolvidos na exploração marinha em Cabo Verde, lançam mãos à obra na construção da dramaturgia. Dramaturgia que surge com o empenho colectivo dos actores do TIM, na criação das estórias que servem de base para a mensagem de preservação e protecção do nosso meio marinho.

Em sessões próprias de improvisos e escrita continuada, nasce o enredo… Dá-se de novo, vida! E a história continua. A vida dos nossos já conhecidos três pescadores (Albertino, Djondjon e Chico, mas também da gestora de recursos marinhos pela preservação, Ana Paula, e das vendedeiras Tudinha e Juninha) personagens marcados pela vida real de uma das nossas muitas aldeias piscatórias, segue. Segue, obviamente sempre colada à faina e á vida dura dos homens do mar, e com as preocupações actuais em relação ao peixe cada vez mais escasso, e à inerente necessidade de preservar para que não falte amanhã. Aliás, a filosofia do velho pescador Albertino permite-lhe afirmar categoricamente: ‘Pésca de manhá ta dependê tcheu de pésca d’ahoje!!!’

Resumindo, nos tempos que correm, com as dificuldades acrescidas, do peixe cada vez mais longe da costa, impõe-se para todos a necessidade de gestão. Uma gestão imposta pela necessidade de preservar para poder continuar a dispôr…

Os nossos homens e mulheres da pesca e do mar, precisam se adaptar aos novos tempos, e paulatinamente, pela necessidade, pela descoberta, pelo amor lutam e lutam, procurando vencer na Vida. Mesmo que seja necessário mudar velhos e tradicionais hábitos seculares de pesca enraizados no ‘modus operandi’ da faina nas ilhas.

A palavra de ordem é ‘preservar para não faltar’. Respeitar a Natureza, ou dito de forma mais correcta: voltar a respeitar a natureza, ajudando a que se mantenha o equilíbrio natural das coisas…

Um contributo para a massificação das preocupações, consensos e soluções dos agentes da exploração marinha, saídas das permanentes mesas de concertação.

E em última instância, divulgar as medidas tomadas para proteger o património natural, pois é necessário proteger e mesmo voltar a criar esse verdadeiro tesouro marinho que ainda temos, pois a qualidade ambiental está em muito relacionada com os esforços de preservação que todos queremos que sejam enormes.

Pelo TIM

Nôs Santa Luzia - FICHA ARTÍSITCA
Dramaturgia
& Encenação
Colectivo, com coordenação de Fonseca Soares
Direcção Artística
Elisabete Gonçalves
Interpretação
Anselmo Fortes
Elisabete Gonçalves
Nuno Delgado
Fonseca Soares
Sílvia Lima
Zenaida Alfama
Design Gráfico
Roger Rocha
Produção
Elisabete Gonçalves
Mirtó Verissimo
Apoio Iluminação: CCP Apoio Som: DC SOUND

2 comentários:

Jota/João Paulo disse...

Anselmo, Tcha, Bety, Depy, Sílvia, Zenaida, Mirtó... Acho que não me esqueci de ninguém...
MMMUUIITAAA MERDAAAAAA!
O TIM é um dos projectos tetrais mais interessantes do momento...
Acho fundamental, a bem do nosso teatro, recuperarmos todos, esse carinho, energia e alegria que vocês colocam neste projeto.
Um grande abraço e beijinhos para as damas, muita força e que seja um sucesso.
Espero ver-vos por cá, na capital, com a peça.

Teatrakacia disse...

Abraço Jota!
Muuuita Merdaaa!
Vamos fazer os possíveis para esse salto até à capital com a peça. Inshalá!