sábado, dezembro 27, 2008

Teatro: mais uma perda neste Natal

Eartha Kitt, a boa actriz de teatro, depois cinema e televisão, mas popularizada como a versátil cantora americana cuja sensualidade e voz provocante fizeram dela uma estrela internacional com mais de meio século de carreira, morreu no dia de Natal, aos 81 anos, informou o seu amigo e agente, Andrew Freedman.

Teatrakácia faz questão de realçar que Eartha Kitt foi uma das poucas artistas a ser nomeada para os Tony, os Grammy e os Emmy Awards, que recompensam anualmente os artistas do teatro, música e televisão, respectivamente. (ela ganhou dois Emmy Awards)
Kitt morreu vítima de cancro do cólon, disse Freedman. Ela morava no estado de Connecticut e estava em tratamento num hospital de Nova York.
Filha de mãe afro-americana e pai branco, Kitty ficou conhecida como actriz nos anos 60, após participar de três episódios da série de TV - Batman, como a sexy "Mulher Gato".
“Era indubitavelmente uma artista lendária e mesmo que pudessem ter havido várias imitações, ela era o original”, declarou Freedman.


"I Want to Be Evil" e "Santa Baby", uma música indispensável no período do Natal, foram duas de suas canções mais famosas.
Chamada de 'a mulher mais sexy do mundo' por Orson Welles, Kitty actuou em filmes vários de que destacamos a sua prestação em "St. Louis Blues" (1958), ao lado desse outro 'monstro' Nat King Cole.
Criada nos campos de algodão da Carolina do Sul, Kitty entrou para a "lista negra" do governo americano após criticar a guerra do Vietname num almoço em plena Casa Branca.
Devido ao incidente, Kitty foi obrigada a viver no exílio tendo actuado fora do país de origem durante vários anos, até ao seu regresso triunfal à Broadway, em 1974, antes de ser indicada, quatro anos depois, para o prémio Tony, pela sua interpretação no musical "Timbuktu".
Voltou à Casa Branca em dezembro de 2006, para acender as luzes da árvore de Natal, ao lado do presidente George W. Bush.
Após cantar em mais de 100 países, Kitty era capaz de fazê-lo em dez idiomas.
Como dançarina, Kitty começou em Paris, na famosa companhia de Katherine Dunham, e percorreu o mundo antes de fazer 20 anos.
"Paris foi uma de suas paixões", disse Freedman. "Um de seus primeiros sucessos (como cantora) foi 'La Vie en Rose'", de Edith Piaf.
"Desde esse período, nos anos 40 e 50, a Europa sempre teve um lugar especial no seu coração, particularmente Paris". (com AFP)

2 comentários:

João Branco disse...

Tchá, cuidado. Isto está a ficar um obituário! Hehehe Um bom 2009, moss!

Teatrakacia disse...

Gentes das artes cénicas que merecem o destaque aqui neste espaço, no mínimo. Que 2009 seja mais de 'mostrar produções, actividades mil' de gente da àrea em CV e no mundo...
Bom 2009