quarta-feira, julho 29, 2009

Electricidade... pelo ar?


Assim… pelo ar… sem tomada… sem uma ligação (instalação) eléctrica?
Parece ser isso mesmo!!!
Segundo informações postadas no site da “BBC”, a companhia “WITRICILY CORP”, vem desenvolvendo o produto… há já alguns anos.
Esta tecnologia nos permitirá recarregar aparelhos, como computadores ou telemóveis, por exemplo, sem necessitar conectá-los a nenhuma tomada. Que bom!!! (Para quem vai a conta?)
De acordo com Eric Giler, cientista da “WITRICILY CORP”, a tecnologia poderá estar disponível em cerca de 18 meses.
Aqui fico à espera!
(confessando ao mesmo tempo, a minha paixão de sempre, pelas tecnologias inovadoras)
Fonte: http://www.techzine.com.br/

7 comentários:

zito azevedo disse...

Seja bem aparecido...
Quanto ao assunto, meu caro, já nada me espanta e, qualquer dia as criancinhas começam a nascer já com
pilhas e circuitos impressos e antenas em vez de orelhas!
Bem; oxalá que não...
Zito Azevedo

Caboverdiano disse...

Manera Tcha?

Bo te acredita que uns mes atras un fala nhe amdjer precisamente mesma coisa. Sobre electricidade "wireless" hehehee. El tcham dod te brinca e el dzem un tem uns ideia. Grinhecim cum oia bo post um larga te erri, um ba dzel assim ,hehehehe.Pa proxima um te patenteá ish ideia "dod" cum tiver. Tcham ba uvi "dodu" de Mario Lúcio pe esquece tud quel fortuna que jam perde, lol. Quel brassa! Força!

G.Silva

Valdevino Bronze disse...

Hum,
Ne Cabo Verde isse tava dá um jête, répéz!

Ma també Fátima Fialho agora tava te bá fká k mural: - Viva Taxa d'Humilhação Públika! Ops, Iluminação...

JÁ BO IMAGINÁ?

Fonseca Soares disse...

Século XXI... é (ou será) assim! Os avanços tecnológicos em rapidez estonteante! Desde que sirva para 'facilitar a vida do Humano'... tudo bem! (Não?) Zito, Deus livre tal coisa! G. começá ta patenteá bôs idêa, moss. Valdevino, seria um grande alívio para a FF, com certeza!
Abraço

zito azevedo disse...

Agora, a sério...
Era eu aínda rapazinho e meu pai, que era o "técnico" que assistia o emissor do Rádio Clube Mindelo, onde eu já fazía uma perninha,e recordo-me de o ver verificar a intensidade do sinal de saída do emissor aproximando das saídas de antena uma lâmpada fluorescente...
Mesmo sem contactar directamente com nada, a lâmpada acendia com uma luminosidade mais ou menos viva conforme a intensidade de saida do sinal de rádio era melhor ou pior. O meu velho dizía que aquilo era "rádio frequência". Aliás, nós todos sabemos que anda por aí muita electricidade estática à solta pelo ar...
Zito Azevedo

Anônimo disse...

merdices, merdices!... para quê tanta tecnologia se as pessoas mal sabem ler o livrinho de instruçoes? Que digo eu manuel o tanas! As pessoas nao sabem sequer interpretar a factura de electricidade, nao sabem ler um jornaleco, nunca viram um livro... enfim tudo fingimentos... as pessoas fingem que percebem de maquinas e tecnologias e vao tentando os botoes e até calhar!!

Fonseca Soares disse...

É mesmo, Zito. Rádio frequência existe e... bem forte, conforme as potencias dos emissores... mas também aumenta quando os mesmos não são calibrados normalmente (faltando a manutenção). E em CV, à manutenção, infelizmente, não se dá a devida atenção...
Anónimo, estamos de acordo, mas só em parte. É a partir de 'merdices' que o mundo pula e avança... (não?)Mas também é verdade que, em tudo na vida, é preciso estudar para compreender... mas para muitos a 'preguiça' não deixa...